PUC-Rio é a sede da Secretaria Executiva da SDSN Brasil

Desde outubro de 2019, a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) sedia a SDSN Brasil nas dependências do campus da Gávea. O trabalho é orientado pelo Núcleo Interdisciplinar de Meio Ambiente – NIMA, espaço da instituição responsável pela integração e troca de conhecimento interdisciplinar nos estudos socioambientais na Universidade. Dessa forma, a PUC-Rio responde pela coordenação da Secretaria Executiva da SDSN Brasil, em linha com o que orienta a sua Agenda Ambiental.

“A Universidade colabora na produção de conhecimento, através do ensino e da pesquisa, buscando soluções sustentáveis e promovendo ações criativas que possam ajudar a sociedade nos processos adaptativos decorrentes das mudanças climáticas e na busca de soluções minimizadoras dos atuais e futuros impactos socioambientais” (Agenda Ambiental, 2010).

A PUC-Rio é uma instituição comunitária de Educação Superior, filantrópica e sem fins lucrativos, que visa produzir e propagar o saber a partir das atividades de ensino, pesquisa e extensão, tendo por base o pluralismo e debates democráticos, objetivando, sobretudo, a reflexão, o crescimento e enriquecimento da sociedade. O NIMA foi fundado pelo atual Reitor Pe. Josafá Carlos de Siqueira, S. J., em 1999, com a missão de aproximar e conectar os diversos departamentos, buscando a cooperação, para responder às questões socioambientais da sociedade contemporânea.

Inscrições para o Concurso de Projeto Socioambiental 2021

Estão abertas as inscrições para o Concurso de Projeto Socioambiental no Campus da PUC-Rio 2021. O objetivo é estimular os alunos de graduação a pensar e construir práticas socioambientais que sejam aplicadas no Campus da universidade. Os projetos selecionados serão expostos durante a XXVII Semana do Meio Ambiente da PUC-Rio.

Podem se inscrever grupos de estudantes da graduação da PUC-Rio ou já graduados pela Universidade, que tenham cursado em 2020.1 ou 2020.2 a disciplina Ética Socioambiental e Direitos Humanos (CRE 1175). As inscrições dos trabalhos devem ser feitas entre os dias 01 de agosto de 2020 e 15 de setembro de 2020 (para os alunos que cursaram a disciplina CRE1175 em 2020.1) e entre os dias 7 de dezembro de 2020 e 1 de fevereiro de 2021 (para os alunos que cursaram a disciplina CRE1175 em 2020.2). Confira o edital:

https://bit.ly/2EAv5IB

Minicurso “Laudato Si e projetos socioambientais do NIMA: educação ambiental e hortas” na XXVI SMA.

A XXVI Semana do Meio Ambiente da PUC-Rio aconteceu de forma digital do dia 3 ao dia 5 de junho. No dia 4 de junho, ocorreu o minicurso “Laudato Si e os projetos socioambientais do NIMA: educação ambiental e hortas”. O curso foi ministrado por Roosevelt Fideles, coordenador do projeto Jornadas Ecológicas e professor da rede estadual, e pelos alunos Maria Claudia Lafraia e Renzo Reisch, estagiários de Educação Ambiental. 

O tema da Semana do Meio Ambiente deste ano foi o “Laudato Si”, o primeiro texto escrito integralmente pelo papa Francisco.O documento pontifício traz como mensagem central a noção de que “tudo está conectado” – frase que foi repetida três vezes ao longo das páginas. Se o ser humano não é dissociado da natureza, eles formam as partes de um mesmo todo e, portanto, destruir a natureza seria destruir também o próprio ser humano. 

Ao longo do minicurso, o professor Roosevelt falou sobre a importância da Educação Ambiental para transformação do indivíduo para que ele tenha uma postura diferente em relação ao meio ambiente. Isso porque através de um aumento do conhecimento, da mudança de valores e o aperfeiçoamento de habilidades, a Educação Ambiental tem se tornado cada vez mais importante como meio de buscar apoio e participação de diversos segmentos da sociedade para a conservação e melhoria da qualidade de vida. Além disso, abordou também o histórico da educação ambiental, explicando que a preocupação oficial com a necessidade de um trabalho educativo que sensibilize as pessoas para a questões ambientais surgiu em 1972, durante a Conferência sobre Meio Ambiente Humano, realizado pela ONU. 

Assim, qual a contribuição do NIMA para a preservação da natureza e o fortalecimento do que o papa Francisco chama, no documento, de uma “ecologia integral”?  Para explicar esta relação, a aluna Maria Claudia Lafraia contou a história do NIMA, formado em 1999 pelo atual reitor da PUC-Rio, Pe. Josafá Carlos de Siqueira S.J. O objetivo era tornar a universidade em uma referência nacional e internacional, contribuindo através da ciência e da educação para o desenvolvimento sustentável. Assim, a PUC-Rio se tornou a primeira faculdade da América Latina a possuir uma agenda socioambiental. Para alcançar seus objetivos, a comissão se estruturou em grupos temáticos, incluindo a Educação Ambiental.

O primeiro projeto de Educação Ambiental apresentado foi o “Jornadas Ecológicas”, realizado desde 1998 em escolas públicas e no campus da PUC-Rio com a missão de contribuir para a formação de valores éticos e socioambientais de crianças e adolescentes do Ensino Fundamental e Médio das escolas públicas do município do Rio de Janeiro. “Convencido como estou – de que toda a mudança tem necessidade de motivações e de um caminho educativo”, disse o papa Francisco na Encíclica Laudato Si. 

O segundo projeto apresentado foi a Estação de Educação Ambiental, inaugurada em 2012. A casa foi construída através de um modelo agro-florestal, onde oito composteiras são responsáveis pela compostagem de 40% das folhas do campus da Universidade. A partir delas, surgem matérias-primas que são utilizadas nas três hortas do NIMA. Maria explicou que uma composteira, que tem dura cerca de seis meses, é capaz de gerar em torno de 281,12 Kg de compostos e economiza aproximadamente 1.200 reais. 

Renzo Reisch, estagiário de Educação Ambiental, falou sobre a Horta Orgânica Familiar e a Horta da Casa de Medicina, criadas em 2017. A primeira se localiza no telhado verde da Coordenação Central de Extensão (CCE), ao lado do edifício Cardeal Leme. A segunda fica no terreno do Departamento de Medicina, no alto da Gávea. A iniciativa do cultivo das hortas tem o objetivo de analisar os efeitos das variações climáticas das duas regiões, melhorando as expectativas de colheitas. 

Renzo falou também sobre a criação de uma horta, explicando sobre quais cuidados essenciais e especiais devemos ter ao criar a nossa própria horta. Você pode assistir à gravação do mini-curso “Laudato Si e os projetos socioambientais do NIMA: educação ambiental e hortas” aqui:

Manual de Descarte Correto – COVID-19

Separamos um manual de descarte correto do lixo para você que está infecctado/convive com alguém com o novo Coronavírus e um para quem esta saudável.

Para domicílios com suspeita de Covid-19, a recomendação é de que estes materiais sejam devidamente armazenados em casa para, enfim, ser descartado da maneira correta até que a situação da pandemia se normalize.



Você, que está saudável e não possui nenhum caso de suspeita em sua residência, deve realizar a separação do lixo e a coleta seletiva normalmente.

Saiba como se prevenir

A pandemia da COVID-19 atingiu o mundo nas últimas semanas. Todos os estados do Brasil já
registraram casos da doença. Como você pode se prevenir do coronavírus? Abaixo estão as
principais orientações dos especialistas até o momento.

1 – Higiene
Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de
higiene, como lavar bem as mãos (dedos, unhas, punho, palma e dorso) com água e sabão, e,
de preferência, utilizar toalhas de papel para secá-las.
Além do sabão, outro produto indicado para higienizar as mãos é o álcool gel, que também
serve para limpar objetos como telefones, teclados, cadeiras, maçanetas, etc. Para a limpeza
doméstica recomenda-se a utilização dos produtos usuais, dando preferência para o uso da
água sanitária (em uma solução de uma parte de água sanitária para 9 partes de água) para
desinfetar superfícies.

2 – Isolamento Social
As autoridades de saúde recomendam o isolamento social voluntário como uma das formas
mais eficazes de evitar a proliferação da COVID-19. O coronavírus se prolifera através de
gotículas de pacientes infectados, mesmo aqueles que apresentam sintomas leves ou estão
assintomáticos. Com o isolamento, o objetivo é “achatar a curva” de proliferação da doença e
evitar a sobrecarga do sistema de saúde.
(Imagem de exemplos destas curvas)

3 -Cuidados em público
Àqueles que precisarem sair às ruas, é recomendada a utilização de máscaras descartáveis.
Também é importante estar atento para não levar as mãos ao rosto (boca, nariz, olhos) e
evitar aglomerações. Ao retornar à residência, tirar os sapatos na entrada e higienizar as mãos.

Conferência Anual da Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável (SDSN Brasil)

A Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) vai realizar a Conferência Anual da Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável (SDSN Brasil) nos dias 28, 29 e 30 de outubro, em formato on-line e aberto ao público (de 11h as 13h – horário BRT). Com o tema central “Cooperação para um futuro equitativo”, o encontro tem como objetivo reunir especialistas e profissionais de áreas ligadas a temas socioambientais, para debater a Agenda 2030 e divulgar iniciativas e soluções que ajudem atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Para participar é necessário fazer inscrição prévia para cada dia de evento. Mais informações em: https://www.sdsnbrasil.org.br/.

1º dia do Seminário 5 Anos da Laudato Si’ no Jornal da PUC

O Jornal da PUC está cobrindo o Seminário 5 Anos da Laudato Si’, que começou hoje e segue até sexta-feira, 18. Mais informações sobre o evento estão em em https://tinyurl.com/NIMA5AnosLaudatoSi.

Aqui está a reportagem “Integração dos saberes marca primeiro dia de Seminário” de Ana Carolina Moraes e Letícia Messias:

Em comemoração da data de publicação da Encíclica do Papo Francisco, a Rede de Ambiente e Sustentabilidade da Associação de Universidades Confiadas à Companhia de Jesus na América Latina (RAS/AUSJAL) promove, ao longo desta semana, o Seminário Cinco Anos da Laudato Si’. Na manhã desta segunda-feira, 14, a abertura do encontro virtual abordou a Dimensão Teológica do documento, e teve presença do Reitor da Universidade, padre Josafá Carlos de Siqueira S.J..

Para a realização do seminário, a AUSJAL reuniu 30 Universidades Jesuítas em 14 países da América Latina. A abertura foi conduzida pelo diretor do Núcleo Interdisciplinar do Meio Ambiente (Nima) da PUC-Rio, professor Luiz Felipe Guanaes, e teve também a participação da secretária executiva da AUSJAL,Patrícia Guerrero, o diretor de Sustentabilidade Ambiental da Universidade Católica Andrés Bello (UBAB), Joaquin Benitez, a professora Florencia Cordero, da mesma instituição, e o Reitor da Universidade Jesuíta de Guadalajara, Luis Arriaga S.J.. 

Segundo Guanaes, é a primeira vez que a Universidade apresenta um encontro em rede de reflexão sobre ambiente e sustentabilidade, mas que é organizada para além dos grupos de cientistas. Isso significa que, agora, os alunos também poderão participar dos debates e conhecer diferentes pontos de vista acadêmicos. Neste sentido, padre Josafá destacou que o engajamento da sociedade à causa ambiental é algo inovador. Para ele, a consciência ecológica atual é um aspecto positivo a ser considerado, embora o planeta também viva, de acordo com ele, um aumento na destruição dos biomas. 

— Teremos que repensar muito os nossos valores. Nós nunca tivemos, na história da humanidade, um crescimento da consciência ecológica como temos hoje, em todos os lugares do mundo. É um fator de evolução extraordinário, se compararmos com o que ocorria há 50 anos. A humanidade toma mais consciência de sua responsabilidade à Casa Comum. Paradoxalmente, porém, observamos o aumento da destruição de nossos biomas. Mas somos seres resilientes e vamos conseguir dar a volta por cima e superar estas contradições. 

O Reitor da Universidade Jesuíta de Guadalajara,  Luis Arriaga S.J., ressaltou que a degradação ambiental é consequência de um modelo social que coloca em evidência a ganância humana. Segundo ele, não é possível enfrentar esta problemática sem prestar atenção na questão econômica e social. Arriaga afirmou que a crise atual é fruto da atividade do homem, e que, portanto, a sociedade também tem o poder para reverter esta realidade. 

— Esta crise não é natural, é produto da atividade humana. Portanto, podemos revertê-la. O respeito à natureza e aos direitos fundamentais estão unidos. Cresce a convicção de que um novo mundo é possível. Implica uma árdua tarefa de família, igrejas, escolas, governos e universidades. Como instituições que difundem conhecimento, as academias têm uma grande responsabilidade. São espaços para construção de alternativas, uma abertura da mente. Isso nos ajuda a pensar em uma nova universidade, ecológica, que é urgente. 

A Laudato Si’ foi escrita e publicada pelo Papa Francisco em 2015 e a primeira da Igreja a ter a questão ecológica como tema central. No documento, o Papa faz críticas ao modo de vida do mundo contemporâneo, questiona o consumo excessivo da sociedade e propõe que o homem cuide melhor da Casa Comum – a Terra. Para isto, o Papa sugere união e um esforço de todos os setores da sociedade. Desde que encíclica foi divulgada, a PUC-Rio se comprometeu a difundir o conteúdo do documento e organiza fóruns de debate. Durante o seminário on-line Cinco Anos da Laudato Si’, cinco temas serão abordados durante a semana: Teologia, Ecologia Integral, Biodiversidade, Clima e Ensino.