Busc@NIMA em ação!

O NIMA passa a disponibilizar, em caráter experimental, um Sistema de Recuperação de Informações, chamado Busc@NIMA, que funciona como um site de buscas na web tradicional, porém contemplando apenas as produções dos professores e pesquisadores da PUC-Rio em áreas e temas ligados com o meio-ambiente.

A ideia é permitir aos interessados identificar as competências na área de meio-ambiente existentes na PUC-Rio, em seu Laboratórios e Departamentos, coordenados por integrantes do quadro de professores e pesquisadores da PUC-Rio. Por um lado, temos as disciplinas oferecidas pelos professores que normalmente a lecionam, por outro lado os projetos de pesquisa e/ou desenvolvimento, além das publicações científicas e tecnológicas, produzidas pelos docentes e pesquisadores vinculados à Universidade.

O sistema Busc@NIMA foi idealizado no NIMA e nesta primeira versão prioriza as buscas de matching exato com a(s) palavra(s) buscada(s), ou seja, retornamos as produções de professores que contenham exatamente a(s) palavra(s) buscada(s). Aos poucos novas versões serão liberadas, permitindo buscas estendidas, com extensões semânticas, e maiores conteúdos envolvendo a produção na área de meio-ambiente na PUC-Rio.

Que tal experimentar fazer uma busca? Visite o Busc@NIMA !

PUC-Rio é a sede da Secretaria Executiva da SDSN Brasil

Desde outubro de 2019, a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) sedia a SDSN Brasil nas dependências do campus da Gávea. O trabalho é orientado pelo Núcleo Interdisciplinar de Meio Ambiente – NIMA, espaço da instituição responsável pela integração e troca de conhecimento interdisciplinar nos estudos socioambientais na Universidade. Dessa forma, a PUC-Rio responde pela coordenação da Secretaria Executiva da SDSN Brasil, em linha com o que orienta a sua Agenda Ambiental.

“A Universidade colabora na produção de conhecimento, através do ensino e da pesquisa, buscando soluções sustentáveis e promovendo ações criativas que possam ajudar a sociedade nos processos adaptativos decorrentes das mudanças climáticas e na busca de soluções minimizadoras dos atuais e futuros impactos socioambientais” (Agenda Ambiental, 2010).

A PUC-Rio é uma instituição comunitária de Educação Superior, filantrópica e sem fins lucrativos, que visa produzir e propagar o saber a partir das atividades de ensino, pesquisa e extensão, tendo por base o pluralismo e debates democráticos, objetivando, sobretudo, a reflexão, o crescimento e enriquecimento da sociedade. O NIMA foi fundado pelo atual Reitor Pe. Josafá Carlos de Siqueira, S. J., em 1999, com a missão de aproximar e conectar os diversos departamentos, buscando a cooperação, para responder às questões socioambientais da sociedade contemporânea.

1º dia da XXVI Semana de Meio Ambiente no Jornal da PUC

O primeiro semestre de 2020 está terminando. Este ano é marcado pela pandemia do novo coronavírus, mas isso não impede a causa ambiental de ser debatida. O Jornal da PUC registrou os acontecimentos dos três dias da primeira edição online da Semana de Meio Ambiente da PUC-Rio.

Aqui está a reportagem “Ecologia integral em um mundo fragmentado” de Vinicius Portella:

Na abertura da Semana de Meio Ambiente, palestrantes analisam os cinco anos da encíclica Laudato Si’

Por causa da pandemia da Covid-19, pela primeira vez, a Semana de Meio Ambiente da PUC-Rio foi realizada no ambiente virtual.  Com o tema Laudato Si’, o clima e a sociedade, a XXVI Semana do Meio Ambiente da PUC-Rio começou na quarta-feira, 3 de junho, com proposta de refletir sobre os cinco anos da primeira carta encíclica escrita pelo Papa Francisco, que trata da ecologia integral e da preservação socioambiental da “Casa Comum”, o planeta Terra. O primeiro dia abordou o tema Laudato Si’ e a Amazônia com palestras, debates, vídeos e um minicurso a respeito do assunto. 

Mediador da cerimônia, o diretor do Departamento de Teologia, padre Waldecir Gonzaga, lembrou na abertura da Semana que 2020 é o Ano Laudato Si’, dedicado à encíclica, e que por isso a temática se estenderá pela dinâmica da Universidade durante o ano inteiro. Após o discurso inicial, o Grão-Chanceler da PUC-Rio, Arcebispo do Rio de Janeiro Dom Orani João Tempesta, O.Cist., ressaltou a importância de aprofundar o tema em um momento tão complexo e comemorou o quinto aniversário do documento. 

O Diretor do Núcleo Interdisciplinar de Meio Ambiente da PUC-Rio (NIMA), professor Luiz Felipe Guanaes, tocou em uma questão abordada por quase todos os participantes, a de que o documento elaborado pelo Papa Francisco não deve servir apenas para análise. Guanaes comentou que a sociedade tem que se mobilizar e mudar as atitudes em favor do meio ambiente para, assim, preservar melhor o planeta. 

– Além de pensar a Laudato Si’, a gente tem que ter ação. A gente espera conseguir que esta ação se amplie na Universidade. Nossa agenda socioambiental, que foi alterada e melhorada exatamente em função da Laudato Si’, tem como ambição que o aluno e o professor hajam em uma perspectiva mais integral.

Padre Waldecir Gonzaga, Dom Orani João Tempesta, O. Cist e professor Luiz Felipe Guanaes

A presença do Bispo da Prelazia de Itacoatiara, Dom José Ionilton, diversificou o debate e trouxe a visão de alguém que vive o cotidiano de um município no Amazonas. Ele destacou o papel fundamental do Sínodo Pan-Amazônico, ocorrido em 2019, da Exortação Pós-Sinodal Querida Amazônia, da Laudato Si e do Papa Francisco para o combate ao desmatamento, às injustiças e crimes cometidos contra os indígenas e as comunidades ribeirinhas. O bispo salientou as ações tomadas pela Prelazia a partir da encíclica, como o incentivo a hortas caseiras para diminuir o uso de agrotóxicos, o aproveitamento de lixo reciclável e o apoio financeiro às populações ribeirinhas para que conservem as frutas em polpas, para serem vendidas e, assim, haver a geração de emprego e renda. 

Dom José comentou a reativação do Projeto Unicom, uma parceria da PUC-Rio com a Prelazia de Itacoatiara que promove a ida de alunos ao município, com o objetivo de fomentar a troca de experiências e a preservação socioambiental. O Exército leva os estudantes, e a Prelazia fornece a hospedagem e a alimentação. O projeto seria realizado em julho deste ano, mas por causa da pandemia do coronavírus, no entanto, foi adiado para o ano que vem. 

Dom José Ionilton, Dom Joel Portella e padre Josafá Carlos de Siqueira S.J.

Diante da crise do novo coronavírus, o primeiro dia do encontro também trouxe a reflexão sobre a necessidade de uma ecologia integral e do surgimento de um novo mundo após a pandemia, como reforçou o Secretário-Geral da CNBB, Dom Joel Portella, ao afirmar que a Laudato Si’ abarca um dos alicerces desse futuro. Assim como Dom Joel, o Reitor da PUC-Rio, padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J., ressaltou a relevância da carta do Papa Francisco para o desenvolvimento de uma sociedade mais justa e preocupada com o meio ambiente. 

– No coração da encíclica há duas questões fundamentais: como resgatar a teologia da criação e como desenvolver uma ecologia integral em um mundo fragmentado. Além das reflexões do Papa Francisco, seu estilo prático e pastoral nos propõe algumas linhas de orientações e ações que passam pela educação, a espiritualidade, a conversão, a cultura da paz. A Igreja do Brasil e as universidades católicas assumiram essa missão, de divulgar a encíclica Laudato Si’ na sociedade, nas comunidades eclesiais e nos meios acadêmicos, com a preocupação de gerar gestos e ações concretas em favor da sustentabilidade socioambiental. 

A abertura da XXVI Semana do Meio Ambiente terminou com um vídeo sobre a Exortação Pós-Sinodal Querida Amazônia e os quatro sonhos expressos pelo Papa Francisco na encíclica: Uma Amazônia que lute pelos direitos dos mais pobres e dos nativos, que preserve a riqueza cultural que tem, que guarde com zelo a beleza natural e que as comunidades cristãs sejam capazes de se voltar e se encarnar no local.