1º dia do Seminário 5 Anos da Laudato Si’ no Jornal da PUC

O Jornal da PUC está cobrindo o Seminário 5 Anos da Laudato Si’, que começou hoje e segue até sexta-feira, 18. Mais informações sobre o evento estão em em https://tinyurl.com/NIMA5AnosLaudatoSi.

Aqui está a reportagem “Integração dos saberes marca primeiro dia de Seminário” de Ana Carolina Moraes e Letícia Messias:

Em comemoração da data de publicação da Encíclica do Papo Francisco, a Rede de Ambiente e Sustentabilidade da Associação de Universidades Confiadas à Companhia de Jesus na América Latina (RAS/AUSJAL) promove, ao longo desta semana, o Seminário Cinco Anos da Laudato Si’. Na manhã desta segunda-feira, 14, a abertura do encontro virtual abordou a Dimensão Teológica do documento, e teve presença do Reitor da Universidade, padre Josafá Carlos de Siqueira S.J..

Para a realização do seminário, a AUSJAL reuniu 30 Universidades Jesuítas em 14 países da América Latina. A abertura foi conduzida pelo diretor do Núcleo Interdisciplinar do Meio Ambiente (Nima) da PUC-Rio, professor Luiz Felipe Guanaes, e teve também a participação da secretária executiva da AUSJAL,Patrícia Guerrero, o diretor de Sustentabilidade Ambiental da Universidade Católica Andrés Bello (UBAB), Joaquin Benitez, a professora Florencia Cordero, da mesma instituição, e o Reitor da Universidade Jesuíta de Guadalajara, Luis Arriaga S.J.. 

Segundo Guanaes, é a primeira vez que a Universidade apresenta um encontro em rede de reflexão sobre ambiente e sustentabilidade, mas que é organizada para além dos grupos de cientistas. Isso significa que, agora, os alunos também poderão participar dos debates e conhecer diferentes pontos de vista acadêmicos. Neste sentido, padre Josafá destacou que o engajamento da sociedade à causa ambiental é algo inovador. Para ele, a consciência ecológica atual é um aspecto positivo a ser considerado, embora o planeta também viva, de acordo com ele, um aumento na destruição dos biomas. 

— Teremos que repensar muito os nossos valores. Nós nunca tivemos, na história da humanidade, um crescimento da consciência ecológica como temos hoje, em todos os lugares do mundo. É um fator de evolução extraordinário, se compararmos com o que ocorria há 50 anos. A humanidade toma mais consciência de sua responsabilidade à Casa Comum. Paradoxalmente, porém, observamos o aumento da destruição de nossos biomas. Mas somos seres resilientes e vamos conseguir dar a volta por cima e superar estas contradições. 

O Reitor da Universidade Jesuíta de Guadalajara,  Luis Arriaga S.J., ressaltou que a degradação ambiental é consequência de um modelo social que coloca em evidência a ganância humana. Segundo ele, não é possível enfrentar esta problemática sem prestar atenção na questão econômica e social. Arriaga afirmou que a crise atual é fruto da atividade do homem, e que, portanto, a sociedade também tem o poder para reverter esta realidade. 

— Esta crise não é natural, é produto da atividade humana. Portanto, podemos revertê-la. O respeito à natureza e aos direitos fundamentais estão unidos. Cresce a convicção de que um novo mundo é possível. Implica uma árdua tarefa de família, igrejas, escolas, governos e universidades. Como instituições que difundem conhecimento, as academias têm uma grande responsabilidade. São espaços para construção de alternativas, uma abertura da mente. Isso nos ajuda a pensar em uma nova universidade, ecológica, que é urgente. 

A Laudato Si’ foi escrita e publicada pelo Papa Francisco em 2015 e a primeira da Igreja a ter a questão ecológica como tema central. No documento, o Papa faz críticas ao modo de vida do mundo contemporâneo, questiona o consumo excessivo da sociedade e propõe que o homem cuide melhor da Casa Comum – a Terra. Para isto, o Papa sugere união e um esforço de todos os setores da sociedade. Desde que encíclica foi divulgada, a PUC-Rio se comprometeu a difundir o conteúdo do documento e organiza fóruns de debate. Durante o seminário on-line Cinco Anos da Laudato Si’, cinco temas serão abordados durante a semana: Teologia, Ecologia Integral, Biodiversidade, Clima e Ensino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *